Você sabia que quatro jesuítas foram miraculosamente preservados da hecatombe de Hiroshima?
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Você sabia que quatro jesuítas foram miraculosamente preservados da hecatombe de Hiroshima?
Redação - 2015/10/13
Hiroshima.jpg
A cidade de Hiroshima em 1945, com a igreja dos jesuítas em primeiro plano

O Superior Provincial da Companhia de Jesus no Japão, Pe. Hugo Lassalle, e outros três jesuítas - Pe. Hubert Schiffer, Pe. Wilhelm Kleinsorge e Pe. Hubert Cieslik - encontravam-se em Hiroshima no trágico dia 6 de agosto de 1945, quando caiu sobre ela a Little Boy, primeira bomba atômica detonada em território habitado. Moravam na casa paroquial da Igreja Nossa Senhora da Assunção, perto do centro de explosão da bomba que arrasou milhares de imóveis num raio de 3 km e matou cerca de 80 mil pessoas. No momento da detonação, um deles celebrava a Sagrada Eucaristia e os demais cuidavam de seus afazeres cotidianos.

Entretanto, de modo humanamente inexplicável, esses filhos de Santo Inácio escaparam ilesos da catástrofe: nada sofreram, além de pequenos ferimentos causados por estilhaços de vidro. O fato, registrado por historiadores e médicos, tornou-se conhecido como o "milagre de Hiroshima" Poucos dias após a explosão, os quatro jesuítas foram submetidos a exames médicos e informados de que, por efeito da radiação, sofreriam graves doenças e teriam morte prematura.

Nada disso aconteceu. Em 1976, o Pe. Hubert Schiffer participou de um congresso nos Estados Unidos e testemunhou que todos estavam vivos e em boa saúde. Ao longo desses anos, eles foram examinados cerca de duzentas vezes por diferentes médicos, sempre com o mesmo resultado: nenhuma consequência da temida radiação.

O Pe. Schiffer narrou em detalhes a história no livro intitulado O Rosário de Hiroshima. E declarou que os quatro atribuíam à mediação da Santíssima Virgem Maria o fato de terem escapado de forma tão miraculosa: "Cremos que sobrevivemos porque vivíamos a mensagem de Fátima" e "rezávamos diariamente o Rosário naquela casa". (Revista Arautos do Evangelho, Setembro/2015. n. 165, pp. 35).

Votar Resultado 24  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
  Dom de Sabedoria