Queres me entregar teu coração?
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Queres me entregar teu coração?
Ir. Beatriz Alves dos Santos, EP - 2015/12/10

Os meninos se juntaram em volta do misterioso objeto. Até Luís, curioso, aproximou-se. O que conteria aquela pequena arca?

Ir. Beatriz Alves dos Santos, EP

Enquanto assistia à aula de matemática, o pensamento do pequeno Luís voava por outras paragens:

- Hoje é o último dia de aula e em breve será o Natal! No ano passado ganhei muitos presentes... deliciei-me com comidas estupendas... visitei muitos lugares durante as férias... Como será neste ano?

O toque do sino encerrou as aulas e todos se despediram, desejando-se um Santo Natal.

img1.jpg

Algumas crianças viviam na pequena aldeia que distava alguns quilômetros do colégio, os quais costumavam percorrer juntos.

- É melhor irmos para casa já, pois está quase escurecendo - aconselhou Roberto aos amigos.

- Que tal irmos pela trilha dos ipês? - sugeriu Pedro.

- Ah, não! É muito longa, poeirenta e... perigosa!

- Deixe de ser medroso, Filipe. É uma boa ideia e poderemos nos divertir! - concordou Marcos.

Entre pedras e buracos iam eles pela trilha, conversando:

- José, o que fará neste dezembro? Logo será o Natal e decerto sua família viajará para descansar, não é? - indagou Luís.
- Não, não! Minha família é muito católica e desde bem pequeno aprendi que devemos preparar a alma para receber o Menino Jesus. No Natal, à meia-noite nos reuniremos na Igreja de Santa Inês para a Missa do Galo.

- O quê? Você ainda vai à Missa do Galo? Minha mãe sempre insiste que a acompanhe, mas não tenho forças para levantar-me da cama...

- Luís, você não vai adorar o Menino Jesus que se fez Homem para nos salvar? - perguntou Pedro surpreendido.

- Quem garante que Ele existe? Eu nunca O vi!... Eu não acredito! A única coisa boa do Natal são as comidas e os presentes!
- Você não tem vergonha de dizer isto, Luís? Não foi o que sua mãe lhe ensinou! Conhecemos dona Genoveva e ela é muito piedosa! O que lhe aconteceu? - contestou Marcos.

- Parem de me fazer estas perguntas!

Apressando o passo, Luís se adiantou nervoso e pensativo. A noite ia chegando e só se ouvia pela mata o cri-cri dos grilos e o chiar das cigarras...

De repente... Pam, pam!

- Ai! Ai! Ajudem-me! - gritou André.

- De novo, André? Você sempre anda distraído e vive caindo pelos caminhos... - replicou Filipe, mal-humorado.

- Desta vez não foi por distração: tropecei em alguma coisa.

Os meninos se juntaram em volta de André. Até Luís, curioso, aproximou-se.

- Que será isto? - perguntou Marcos.

- Acho que é só um galho de árvore - opinou Pedro.

- Não! Parece uma caixa... Será um tesouro? Vamos, abra! - insistiu Luís.

Desenterraram o misterioso objeto: era uma pequena arca coberta pela poeira da estrada. Abriram-na rapidamente e... oh, maravilha!

- Que bela imagem do Menino Jesus! Vejam os detalhes: são de ouro!! - surpreendeu-se Pedro.
- É a mais bonita que eu já vi! - exclamou Marcos.

Estavam estupefatos com a perfeição do Menino: portava uma túnica azul e ouro, seus cabelos eram castanho-claros e os olhos azuis, o rosto gracioso era iluminado por um olhar penetrante. Fez-se um instante de silêncio...

- Com quem ela ficará? - perguntou Pedro.

- Comigo, claro! Fui eu quem tropeçou nela! - decidiu André.

- Não, não! Todos nós passamos por aqui! Você só caiu por ser o mais distraído... Vamos tirar a sorte para saber com quem o Menino Jesus quer ficar - decretou Roberto e eles concordaram.

Eis, porém, que tal dita caiu sobre Luís...

- Puxa! Justo quem não acredita no Menino Jesus?! - reclamou André - Se não a quiser, eu a recebo... Será uma grande graça ficar com ela!

De fato, Luís não acreditava no Menino Jesus, mas aceitou-a com um misterioso sorriso...

Caminharam mais um pouco e alcançaram a aldeia. Dona Genoveva, apreensiva, aguardava o filho que demorava. Assim que a viu, o pequeno Luís mostrou-lhe a delicada imagem que trazia nas mãos:

- Mamãe, hoje viemos pela trilha dos ipês. E veja o que encontramos no caminho: tem adornos em ouro! Vou vendê-la por um bom preço... No Natal, certamente haverá algum comprador!

- Não, meu filho. Isto é um sinal do Menino Deus para que sejas mais fervoroso e regresses à Igreja. Desde que teu pai faleceu abandonaste a vida de piedade e temo pelo teu futuro.
- Vou pensar e amanhã conversaremos...

Luís tomou a imagem e trancou-a em seu armário. Cansado pelo dia cheio de atividades, jantou e foi dormir.  No meio da madrugada, ele ouviu uma batida suave à porta.

- Ai, meu Deus! O que mamãe quererá a esta hora?
Tudo estava quieto...
- Acho que foi um sonho... - pensou Luís, entregando-se ao sono.

Alguns minutos depois, outra batida... Luís pôs-se de pé e aguçou o ouvido. Eis que o ruído vinha de seu armário!

- Que estranho! O toque sai de dentro do armário. E lá está o Menino Jesus... Não pode ser!
img2.jpg
Dona Genoveva, que passara a noite desperta e
triste, teve um sobressalto ao vê-lo entrar

Mais uma vez começava a adormecer, quando ouviu a mesma batida. Vencido pela insistência, Luís não resistiu mais, abandonou a cama e aproximou-se do móvel com certo receio... Novos toques dissiparam qualquer dúvida. Colou o ouvido à porta e escutou uma voz infantil que dizia:

- Por que me rejeitas? Não queres me entregar teu coração?

O semblante de Luís mudou. Caindo de joelhos, começou a chorar... No entanto, não demorou muito para sua tristeza transformar-se em alegria. Tomado de entusiasmo, abriu o armário, tomou com veneração o Menino Jesus e correu para junto da mãe. Dona Genoveva, que passara a noite desperta e triste, rezando pelo filho, teve um sobressalto ao vê-lo entrar gritando em seu quarto:

- Mamãe, mamãe!

Carregando a formosa imagem, Luís contou-lhe tudo e, com a voz entrecortada pela emoção, concluiu:

- Agora sei que Ele existe! Sim, porque O ouvi em meu interior!

Naquele Natal, dona Genoveva não foi sozinha à Missa do Galo e Luís relatava a quem encontrava como tinha sido sua conversão, para que as divinas palavras do Menino Jesus tocassem todos os corações, como haviam tocado o seu! (Revista Araurtos do Evangelho, Dezembro/2015, n. 168, pp. 46-47)

Votar Resultado 3  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
  Dom de Sabedoria