Dom Walmor brinda Advento com palavras de esperança
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Dom Walmor brinda Advento com palavras de esperança
Gaudium Press - 2009/12/04

Belo Horizonte (Sexta-feira, 04-12-2009, Gaudium Press) Em seu costumeiro artigo semanal divulgado hoje, dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte, chama a atenção para a chegada do Advento, tempo que precede as celebrações do Natal do Senhor. Conforme o arcebispo, neste tempo, a Igreja Católica brinda seus fiéis com a esperança através das palavras do Profeta Isaías. "No início do capitulo 11 de sua profecia, está escrito: 'Um broto vai surgir do tronco seco, das velhas raízes o ramo brotará'. Palavras que sinalizam um novo tempo, indispensável na vida das sociedades e no coração de cada pessoa".

Segundo D. Walmor, o caminho de preparação para um novo tempo deve passar pela reflexão interna de cada indivíduo. A vida não pode ser vivida e pensada de qualquer jeito, diz ele. É um dom muito precioso. O que acontece, porém, nos dias atuais, de acordo com o Arcebispo, é exatamente o contrário. Apesar das garantias e conquistas, particularmente das últimas décadas "a vida está sendo vivida de qualquer maneira por muitos, trazendo prejuízos e prospectando um futuro muito sombrio". Reverter este quadro deve ser obrigação de todos.

Na linha metafórica do broto a que se referiu Isaías, prossegue o arcebispo, suas palavras são "uma advertência e uma convocação" para não se pisar no broto que ainda pode e deverá florescer e dar furtos já que é "muito fácil pisar no broto e matar as esperanças". Conforme o prelado, é possível cultivar, paciente e ternamente, "o broto da vida de cada um, no sonho de mais solidariedade e partilha, revertendo, assim, a odiosa e preconceituosa exclusão de muitos irmãos e irmãs".

Para que isso ocorra, no entanto, dom Walmor avalia ser necessário que o discurso e também o foco das preocupações básicas do ser humano se modifique. A lista de prioridades das agendas governamentais e dos meios de comunicação, segundo ele, também precisa ser revista, citando esxpecificamente o destaque da política partidária nas preocupações, nos noticiários e nos debates.

Outra grande preocupação revelada pelo artigo de dom Walmor refere-se aos jovens dependentes químicos. Usando uma expressão cunhada pelos Bispos na 5ª Conferência do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, o prelado compara a dependência química a uma grande mancha de óleo que está invadindo tudo e afetando principalmente a juventude.

Com o objetivo de destacar o papel da igreja no combate às drogas,o arcebispo cita a passagem do Documento de Aparecida, n. 423, que diz que a Igreja "deve promover uma luta frontal contra o consumo e o tráfico de drogas, insistindo no valor da ação preventiva e educativa, apoiando os governos e entidades civis que trabalham neste sentido, exortando o Estado em sua responsabilidade de combater o narcotráfico e prevenindo o uso de todo tipo de droga. A ciência tem indicado a religiosidade como fator de proteção e recuperação importante para o usuário de droga".

 

Votar Resultado 0  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
  Dom de Sabedoria