Beatificado sacerdote morto em prisão comunista
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Beatificado sacerdote morto em prisão comunista
Gaudium Press - 2013/09/02

Bucareste - Romênia (Segunda-feira, 02-09-2013, Gaudium Press) - Padre Vladimir Ghika, passou durante vários meses por torturas e tormentos físicos e psicológicos e foi morto pelo regime comunista romeno no ano de 1954. No último sábado, 31 de agosto, ele foi beatificado em Bucareste.

vladimir-ghika-principe-preot-roman-romano-catolic-declarat-sfant.jpg

O Beato Vladimir Ghika foi preso pelos comunistas porque permaneceu fiel à Igreja e ao Papado sendo morto por "ódio a Fé" em uma das prisões mais temidas da Romênia.

A beatificação teve a participação de uma grande delegação de fiéis da Arquidiocese de Paris, presidida pelo Cardeal André Vingt -Trois . O Papa Francisco foi representado pelo cardeal Ângelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

O novo Beato nasceu em Constantinopla, oriundo de uma família principesca Ortodoxa. Ele pertencia à dinastia dos príncipes Ghica , que governou a Moldávia e a Valáquia do século XVII ao século XIX.

Sua educação foi realizada na França. E foi na França também que ele converteu-se ao catolicismo romano. Lá, ainda continuou seus estudos e foi ordenado sacerdote, em Paris, no ano de 1923, tendo já 50 anos de idade.

O Papa concedeu-lhe permissão para celebrar a Santa Missa nos ritos romano e bizantino.

Foi diplomata da Santa Sé e viajou o mundo. Foi recebido pelo imperador do Japão. Na década de 1930 contribuiu para a criação e edificação do primeiro Carmelo japonês.

Passou toda a Segunda Guerra Mundial na Romênia. Mesmo durante o conflito prestava importante assistência a refugiados, prisioneiros e vítimas de bombardeios. Criou a primeira clínica gratuita na Romênia: uma colônia de leprosos .

"Na época, se um hospital católico fosse aberto, ele era reservado para os católicos. Mas o Hospital do Padre Ghika estava aberto para todos. Ao longo de sua vida, ele procurou unir o amor de Deus e o amor ao próximo ", disse Monica Brosteanu , um dos editores da "positio", -estudo das investigações que instruem os processo de Canonização- que levou a ser beatificado o sacerdote romeno.

A polícia comunista prendeu-o em 1952. Foram realizados simulacros de processo e julgamento Ele acabou sendo condenado a prisão e morreu no cárcere, aos 80 anos. (JSG)

Com informações Rádio Vaticano

Votar Resultado 0  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
  Dom de Sabedoria