Judite arquiteta um ousado plano
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Judite arquiteta um ousado plano
Gaudium Press - 2016/09/01

Redação - (Quinta-feira, 01/09/2016, Gaudium Press) - Durante o tempo em que o Rei de Judá, Manassés, estava deportado na Babilônia, ocorreu em terras israelitas um fato que mostra o heroísmo de uma mulher chamada Judite.

O sumo sacerdote organiza a defesa do povo

Após conquistar diversos povos do Oriente, um rei assírio com o nome de Nabucodonosor convocou Holofernes, o comandante-em-chefe de seu exército, para dominar todo o Ocidente. Com mais de cem mil homens foi ele escravizando as populações, obrigando-as a adorarem Nabucodonosor (cf. Jt 3, 8); e chegou às fronteiras da Judeia.

Na ausência do rei, o sumo sacerdote Joaquim organizou a defesa do povo eleito: "Mandou que se ocupassem todos os cumes dos montes e que cercassem as aldeias de muros. Escreveu também a todos os lugares por onde Holofernes podia passar, ordenando que protegessem as vertentes das montanhas e os desfiladeiros." Eis um modelo daqueles que devem ser Pastores da Santa Igreja Católica.

E percorreu cidades hebraicas, recomendando aos habitantes que tivessem confiança, pois assim como Moisés, pelo auxílio divino, venceu povos idólatras, o Altíssimo os ajudaria a triunfar contra os inimigos.

Todos os países da região haviam se entregado aos assírios; apenas os judeus resistiam. Na cidade de Betúlia, situada no alto de montanhas, os israelitas organizaram a defesa valorosamente.

Testemunho de Aquior

Holofernes , que acampara com suas tropas próximo a Betúlia, reuniu os chefes dos povos submissos e perguntou-lhes quem eram os israelitas, qual o efetivo de seu exército, qual o poder de sua força etc.

Aquior, chefe dos amonitas, fez um breve e exato resumo da história dos hebreus, dizendo, entre outras coisas, o seguinte:

"Enquanto não pecaram diante do seu Deus, a prosperidade estava com eles, pois com eles está um Deus que odeia a iniquidade. Mas, quando se afastaram do caminho que Ele lhes traçara, foram terrivelmente destroçados em muitas guerras" (Jt 5, 17-18).

E acrescentou que se os judeus pecaram, serão conquistados. Mas se foram fiéis a Deus, Holofernes deve passar adiante, pois do contrário os assírios serão objeto do escárnio de toda a Terra.

Quando ouviram essas palavras, todos os assistentes gritaram dizendo que Aquior deveria ser morto. Cessado o tumulto, Holofernes, depois de jactar-se a respeito do poder de suas armas, ordenou que Aquior fosse entregue às mãos dos israelitas; ele foi amarrado e colocado ao pé de uma montanha, no alto da qual estava Betúlia.

Resgatado por alguns hebreus, Aquior foi conduzido à presença dos chefes, os quais lhe pediram contar o que havia ocorrido. Ele narrou tudo e, impressionados por sua retidão, o acolheram com alegria em Betúlia.

Habitantes de Betúlia querem se entregar

Holofernes comandava um exército de 170.000 soldados de infantaria e 12.000 cavaleiros, além de imensa multidão que os seguia a pé. Aconselhado por dirigentes de povos vizinhos, entre os quais os chefes dos descendentes de Esaú (cf. Jt 7, 8), Holofernes mandou bloquear a nascente que fornecia água para os habitantes de Betúlia, e cercar a cidade por todos os lados.

A sede começou a matar muitas pessoas. E, transcorridos 34 dias, o povo se dirigiu aos chefes e anciãos de Betúlia e clamou em alta voz, dizendo que a cidade deveria ser entregue a Holofernes, tornando-se assim seus habitantes escravos dos assírios. "E levantou-se da assembleia um pranto geral, unânime, enquanto clamavam ao Senhor com grandes brados" (Jt 7, 29).

Ozias, o principal chefe de Betúlia, disse-lhes que deveriam aguentar mais cinco dias, esperando a intervenção divina. Se Deus não os socorresse nesse prazo, entregar-se-iam a Holofernes.

Judite chama os anciãos

Residia em Betúlia uma viúva chamada Judite. Ela sempre trajava vestido de viúva, jejuava diariamente, exceto nos dias festivos e suas vigílias. "Era muito bela [...], prudente de coração e com bom senso, muito honrada [...] e muito temente a Deus" (Jt 8, 7-8). Seu marido lhe deixara muitos bens, além de servos e servas.

Tendo sabido das lamentações do povo e das palavras de Ozias, chamou-o, bem como outros dois principais anciãos, à sua casa.

Quando chegaram, Judite, com muita sabedoria e firmeza, increpou-os devido à promessa de entregar Betúlia, se Deus não interviesse nos próximos cinco dias. Entre outras coisas, disse ela: "Quem sois vós, que hoje tentastes a Deus e vos pusestes no lugar de Deus em meio aos vossos irmãos?" (Jt 8, 12). E acrescentou que se Betúlia se entregasse a Holofernes, logo depois o Templo seria saqueado. Graças deveriam dar a Deus por permitir essa provação, como o Altíssimo fez com Abraão, Isaac e Jacó. "É para advertir que o Senhor flagela os que d'Ele se aproximam" (Jt 8, 27).

Pleno de admiração, Ozias disse a Judite: "Não é de hoje que se manifesta a tua sabedoria, mas desde a tua infância todos reconhecem teu bom senso e as boas disposições do teu coração [...] Portanto, roga por nós [...], pois és uma mulher santa" (Jt 8, 29.31).

Judite afirmou que, com a ajuda divina, faria uma proeza e acrescentou: "Vós, porém, não procureis entender o meu plano." Os anciãos, então, disseram: "Vai em paz, e o Senhor Deus esteja à tua frente para a vingança contra os nossos inimigos" (Jt 8, 34-35); e se retiraram.

Peçamos à Santíssima Virgem que nos conceda uma fé inquebrantável e uma combatividade invencível, como teve a heroica Judite, para enfrentarmos os que pretendem destruir a Santa Igreja de Deus.

Por Paulo Francisco Martos
(in Noções de História Sagrada - 81)
.......................................................
1 - Cf. FILLION, Louis-Claude. La Sainte Bible commentée. 3. ed. Paris: Letouzey et aîné.1923, v.III , p. 378..
2 - CLÁ DIAS, João Scognamiglio, EP. Pequeno ofício da Imaculada Conceição comentado. 2. ed. São Paulo: Associação Católica Nossa Senhora de Fátima. 2010, v. I, p. 298.

3 - Cf. DARRAS, Joseph Epiphane. Histoire Génerale de l'Église depuis la Création jusqu'à nos jours.
Paris : Louis Vivès. 1863. v. III, p.125.

Votar Resultado 0  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.
  Dom de Sabedoria